sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Paulo Heider Feijó lança livro sobre a arquitetura tradicional de Acari

Arquiteto se debruçou sobre o casario e escreveu o livro A Arquitetura Tradicional de Acari no século XIX. Sessão de autógrafos que aconteceu no fim da tarde de quinta, 29, na Pinacoteca do Estado.



Por Márcio de Lima Dantas
Professor Depto. Letras/UFRN

O livro do professor e arquiteto Paulo Heider Forte Feijó, A arquitetura tradicional de Acari no século XIX, publicado em 2013, que foi lançado nesta quinta, 29, pela Fundação José Augusto, na Coleção Cultura Potiguar, inscreve-se como uma obra que, no seu aspecto etnográfico, reivindica o ethos característico da região do Seridó, com suas peculiaridades, que a distingue das demais regiões do estado do Rio Grande do Norte.

A região do Seridó destacou-se do resto do estado por deter uma cultura que se afirma, por vezes, até de se identificar um dos seus habitantes, não somente por seus traços étnicos, mas por uma configuração fenotípica distinta das demais regiões.

Um dos aspectos mais interessantes do livro é o detalhamento dos materiais encontrados nas construções. Do alicerce ao telhado, a casa paulatinamente toma a forma de determinada maneira de habitar, apontando cada função do elemento envolvido, quer seja funcional ou estético. Referindo-se, por meio de um método comparativo, entre a casa-grande de fazenda e a casa urbana, o autor desvela as formas de representar, de interagir com os habitantes da região, de sentir, e enfim, de como tirar proveito das matérias propícias à construções proporcionadoras do conforto possível.

Eis a grande contribuição do livro aos estudos concernentes ao Rio Grande do Norte: desconstruir a arquitetura e explicá-la através dos procedimentos que a regem e a torna distinta do modo como se habita em outras regiões.


quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Orquestra Sinfônica do RN realiza concerto gratuito e homenageia Tonheca Dantas

O espetáculo de música popular terá a participação da Companhia de Dança do TAM. A entrada é franca e não é preciso retirar convites com antecedência. O concerto encerra as festividades do Agosto da Alegria 2013.
OSRN executa obras de Tonheca Dantas, o grande compositor de Royal Cinema
Com regência do Maestro Linus Lerner, a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte realiza concerto de música popular no próximo sábado (31), a partir das 20h, no Teatro Alberto Maranhão, homenageando e resgatando a obra de Tonheca Dantas, compositor potiguar, conhecido como “O Maestro dos Sertões", além de grandes artistas brasileiros como Luiz Gonzaga, Ari Barroso e Tom Jobvim. O espetáculo faz parte do projeto Movimento Sinfônico, patrocinado pela Cosern através da Lei de Incentivo à Cultura Câmara Cascudo, e contará com participação especial da Companhia de Dança do Teatro Alberto Maranhão (CDTAM) e da sanfoneira Carol Benigno.


O Movimento Sinfônico  é responsável pela residência artística do  maestro Linus Lerner 

O Movimento Sinfônico também é responsável pelo projeto de residência artística do maestro Linus Lerner, regente e diretor artístico da Orquestra Sinfônica do RN, integrando a série de iniciativas da Cosern de investimento na cultura por meio da Lei Câmara Cascudo.

A Companhia de Dança do TAM faz participação especial durante concerto
O repertório do concerto traz a primorosa valsa Royal Cinema, de Tonheca Dantas, com orquestração de Osvaldo D'amore. Segue com O Melhor do Xotis, de Luiz Gonzaga, Cantiga, de Clovis Pereira, Suite Monette (Duda), Gonzaguiana ( Ciro Pereira). Após breve intervalo, a OSRN volta ao palco com Os Tres Covardes, composição de Tonheca Dantas e Orquestracao de Willames S. da Costa, Dança do Cavalo Marinho (Levino Ferreira), A Desfolhar Saudade (Tonheca Dantas/Orquestracao Gilberto Cabral), Garota de Ipanema (Antonio Carlos Jobim/Arranjo Brasolin) e encerra com a famosa Aquarela do Brasil, de Ari Barroso.

No concerto da OSRN deste sábado, a Secultrn/FJA encerra a programação do Agosto da Alegria 2013, que este ano teve uma programação mais enxuta, porém, mobilizou a cultura popular em suas várias vertentes durante todo o mês de agosto. Para continuar acompanhando a programação da Secretaria de cultura, acessar o site www.cultura.rn.gov.br.

SERVIÇO:

Concerto Oficial da Orquestra Sinfônica do RN – Dia 31 de agosto, às 20h, no Teatro Alberto Maranhão. Entrada franca. Tel.: (84) 3222-3669.

[Informações para a imprensa]

Ensaio Geral

A Orquestra realizará ensaios para o concerto hoje (quinta,29), das 14h30 às 17h30, intervalo às 16h. Ensaio geral com todos os artistas será realizado na sexta,  30, das 14h30 às 17h.

Contatos para entrevistas: Linus Lerner - Regente e Diretor Artístico: (84) 8108-4846 / Luiz Antonio – Diretor administrativo: (84) 9967-8491 .

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Paulo Heider Feijó lança livro sobre a arquitetura tradicional de Acari

 Arquiteto se debruçou sobre o casario e escreveu o livro A Arquitetura Tradicional de Acari no século XIX. Sessão de autógrafos será no fim da tarde de quinta, 29, na Pinacoteca do Estado.




Por Márcio de Lima Dantas
Professor Depto. Letras/UFRN

O livro do professor e arquiteto Paulo Heider Forte Feijó, A arquitetura tradicional de Acari no século XIX, publicado em 2013, que será lançado nesta quinta, 29, a partir das 15h30, pela Fundação José Augusto, na Coleção Cultura Potiguar, inscreve-se como uma obra que, no seu aspecto etnográfico, reivindica o ethos característico da região do Seridó, com suas peculiaridades, que a distingue das demais regiões do estado do Rio Grande do Norte.
A região do Seridó destacou-se do resto do estado por deter uma cultura que se afirma, por vezes, até de se identificar um dos seus habitantes, não somente por seus traços étnicos, mas por uma configuração fenotípica distinta das demais regiões.
Um dos aspectos mais interessantes do livro é o detalhamento dos materiais encontrados nas construções. Do alicerce ao telhado, a casa paulatinamente toma a forma de determinada maneira de habitar, apontando cada função do elemento envolvido, quer seja funcional ou estético. Referindo-se, por meio de um método comparativo, entre a casa-grande de fazenda e a casa urbana, o autor desvela as formas de representar, de interagir com os habitantes da região, de sentir, e enfim, de como tirar proveito das matérias propícias à construções proporcionadoras do conforto possível.
Eis a grande contribuição do livro aos estudos concernentes ao Rio Grande do Norte: desconstruir a arquitetura e explicá-la através dos procedimentos que a regem e a torna distinta do modo como se habita em outras regiões.

SERVIÇO: 
Lançamento do livro A Arquitetura Tradicional de Acari no século XIX (Coleção Cultura Potiguar, nº 37/FJA) – 28 de agosto, a partir das 15h30, Pinacoteca do Estado. 
Agosto da Alegria 2013 - Programação completa no site www.cultura.rn.gov.br


Maria do Santíssismo, a maior naïf do RN, em exposição no Agosto da Alegria 2013

Com acervo próprio de Iaperi Araújo e da Pinacoteca do Estado, será realizada a partir desta quinta uma retrospectiva da obra de Maria do Santíssimo, reconhecidamente a maior representante da arte primitiva potiguar.
Maria do Santíssimo  fabricava seus pinceis e pintava com anilina
A Secultrn/FJa realiza nesta quinta-feira, 29, a partir das 15h30, a solenidade de pagamento dos editais Palhaço Facilita, Deífilo Gurgel e III Salão de Arte Chico Santeiro. Os recursos, oriundos do Fundo Estadual de Cultura, somam R$ 242 mil reais e beneficiam diretamente 71 grupos e artistas populares de todo o RN. No mesmo fim de tarde, será lançado o livro A Arquitetura Tradicional de Acari, no século XIX, de Paulo Heider Feijó, e também será inaugurada a grande exposição de Maria Santíssimo (1890/1974), a pintora naïf que conquistou salões de arte em seu tempo.

Com obras doadas por Iaperi Araújo à Pinacoteca, mais algumas de seu acervo pessoal e outras que já pertenciam ao Governo do Estado, o Agosto da Alegria 2013 realiza a exposição Uma Canção Ingênua - Maria do Santíssimo, retrospectiva histórica da pintora que criou um estilo próprio da arte primitivista. Santíssimo tinha o nome da mãe de Deus, mas se tornou mãe de um estilo peculiar da arte naïf, utilizando a técnica da anilina sobre o papel.

A exposição é composta por obras do acervo de Iaperi Araújo e da Pinacoteca 
Autodidata, começou a pintar aos 9 anos, no povoado de São Vicente, interior do Rio Grande do Norte. Em meio às pouquíssimas condições materiais, fabricava seus pincéis a partir de palitos da folha do coqueiro e inspirava-se na fauna e na flora da região. Mesmo com a dificuldade, Maria demonstrou talento e sensibilidade para a criação artística, desde sempre pintando em papel almaço e papel de embrulho com anilina.

A técnica, embora rústica e primitiva, proporciona a caracterização de um estilo único e pessoal, enquadrando-se como arte naïf, por não ser ligada a nenhuma escola ou tendência, na ousadia de pintar sem regras. Até ser descoberta nos anos 60 pelo pintor e conterrâneo Iaponi Araújo, irmão de Iaperi, as pinturas de Maria do Santíssimo geralmente decoravam baús de roupas, tralhas domésticas, oratórios, e até paredes das salas de visitas de São Vicente. Por conta dos afazeres domésticos, e a necessidade de cuidar dos filhos, ela já tinha parado de pintar, mas Iaponi foi o responsável por apresentar Dona Maria aos salões de arte do país e fazê-la retomar gosto pela pintura.
Maria do Santíssimo foi aclamada por críticos em sua época, e sua arte está presente em museus 
Iaperi Araújo, que será curador da exposição, relata como foi a reconciliação de Maria do Santíssimo com os pincéis. “Já tinha mais de 70 anos e os materiais de pintura. Daí, foi buscar bem no passado a criatividade que ainda estava guardada. E pintou muito. Cajus, castanholas, cravos e cravinas, melindres, florões de guirlandas de enfeitar altares, galos, pavões, burricos, patativas.  Era uma quase compulsão catársica se desmanchando de boniteza na intensa e equilibrada disposição crômica de um trabalho aparentemente rude, mas de uma pureza e ingenuidade que conquistava a todos.”

Após sair do anonimato, sua arte passou a ser elogiada, consagrada como uma das melhores do País. Seus trabalhos expostos nas galerias de grandes museus brasileiros e até na Trienal da Pintura primitiva de Bratislava, Tchecoslováquia. Tem obras no acervo da Pinacoteca Potiguar, Museu de Cultura Popular de Natal, do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e de São Paulo, no Museu do Folclore do Rio de Janeiro, no Palácio do Itamarati, em Brasília, e no Museu de Pintura Primitiva de Assis, em São Paulo.



SERVIÇO:

Pagamentos dos editais Palhaço Facilita, Deífilo Gurgel e III Salão de Arte Chico Santeiro, Apresentação da Orquestra de Violinos de Goianinha, vernissage da exposição Uma Canção Ingênua - Maria do Santíssimo e lançamento do livro A Arquitetura Tradicional de Acari no século XIX – 28 de agosto, a partir das 15h30, Pinacoteca do Estado.

Agosto da Alegria 2013 - Programação completa no site www.cultura.rn.gov.br

(Texto original de Luiz Philipe Barros, referente à Maria do Santíssimo, editado por Eliade Pimentel). 

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Casa dos Milagres: Santos e Ex-votos na Coleção de Antonio Marque

Os santuários do RN são representados na Casa dos Milagres (foto: Giovanni Sérgio)
A fé e a religiosidade do povo nordestino é uma das características mais marcantes na cultura brasileira. Visando reconhecer e valorizar as riquezas desse nosso patrimônio, o Agosto da Alegria 2013 traz a exposição Casa dos Milagres: Santos e Ex-votos na Coleção de Antonio Marques, composta por um conjunto de obras que vem sendo reunido desde 1960 com a intenção de preservar e salvar do esquecimento trabalhos populares que, até pouco tempo, não eram considerados como objetos de arte.
O acervo conta com imagens sacras e objetos dos santuários do Rio Grande do Norte, de outras regiões do Brasil e até mesmo do exterior. Dessa exposição nasceu o projeto de transformar a antiga capela do Centro de Turismo de Natal no Museu “Casa dos Milagres”, enriquecendo o cenário cultural da cidade e contribuindo para a preservação e valorização de parte de nossa cultura.

SERVIÇO:
Vernissage: 28/08/13, às 17h
Local: Centro de Turismo
Visitação: das 10h às 18h, até 30/09, de segunda a sábado, e nos meses de outubro, novembro e dezembro, das 14h às 18h.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Feira do Livro de Frankfurt homenageia Brasil e contará com participação de autores e editoras potiguares




Fundação José Augusto/Secult, editoras e autores potiguares participam nos dias 9 a 13 outubro da Feira do Livro de Frankfurt, na Alemanha. A feira é a maior feira de livros do mundo também voltada para multimídia e comunicação, e esse ano terá o Brasil como país homenageado. A participação se deu a partir de convite realizado pela Fundação Biblioteca Nacional, que abriu edital para selecionar autores e levar suas obras para Frankfurt. 

O evento, que dá destaque à produção editorial no mundo, é oportunidade de divulgar a cultura literária do Rio Grande do Norte no exterior, pois oferece grande exposição na mídia internacional e proporciona grandes oportunidades de crescimento dos negócios, já que objetiva aumentar a presença dos livros brasileiros no mercado estrangeiro.

Paulo de Tarso Correia de Melo e Diógenes da Cunha Lima são dois dos escritores potiguares que estarão presentes na feira, ambos se inscreveram junto a Fundação Biblioteca Nacional, que custeará o transporte dos livros e disponibilizará estande de exposição. A Secretária Extraordinária de Cultura, Isaura Rosado, que também estará presente na feira, convidou e mobilizou editoras locais a participarem. Inscreveram-se a Editora Gráfica Manimbu, Editora Sebo Vermelho, Sarau das Letras, Editora Queima Bucha, Fundação Vingt-un Rosado e Editora UNA. Expositores serão alocados no Pavilhão País Homenageados.

A Feira terá 7.539 expositores distribuídos em dezenas de pavilhões. São 111 países participantes e, segundo dados da Câmara Brasileira do Livro, a estimativa é de que 290 mil pessoas visitem a feira.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Araruna, Grupo Folclórico Ô de Casa (SP) e Grupo Samba de Pareia (SE) realizam espetáculo no Teatro Alberto Maranhão

Celebrando a arte e vivacidade da cultura popular, o Agosto da Alegria 2013 traz mais um dia de festividades com a programação XVII Festival de Folclore e o III Encontro de Brincantes do Brasil. Nesta noite de sexta-feira, a partir das 18h, teremos o brilhantismo da nossa Araruna, o grupo Folclórico Ô de Casa, de São Paulo, e o grupo Samba de Pareia, de Sergipe, que ilustram a noite do Teatro Alberto Maranhão, num espetáculo de música, dança e alegria.

Araruna


Araruna é inspirada nas danças européias de salão, onde se misturam valsa, polca, xote, mazurca e o estilo popular de caráter folclórico. Nessa dança tipicamente potiguar, os cavalheiros usam casaca e cartola, e as damas, longos vestidos de saia rodada. O acompanhamento musical é feito normalmente ao ritmo de sanfona e pandeiro ou outro instrumento de percussão.

O Grupo “Ô DE CASA”

Composto basicamente por integrantes da Comunidade da Vila Sabrina (bairro na Zona Norte da Cidade de São Paulo), tem por objetivo produzir e divulgar atividades folclóricas. O grupo inclui participantes de diferentes faixas etárias e com escolaridades diversificadas, desde crianças em idade pré-escolar até idosos já aposentados. O grupo apresenta danças como Pastoril, o Sarau Caipira e a Trança-Fitas.

Grupo Folclórico Samba de Pareia



O samba de parelha, popularmente chamado de pareia, surgiu há mais de 300 anos, quando os escravos aproveitavam o escasso tempo de descanso do trabalho nos canaviais para sambar em duplas. Séculos depois, os remanescentes de quilombolas do povoado Mussuca, em Laranjeiras, Sergipe, lutam para não deixar morrer essa tradição. A dança é apresentada por mulheres em seus vestidos coloridos, chapéus e tamancos, marcando passos da coreografia. A vocalista do grupo Samba de Pareia é Dona Maria Nadir dos Santos, que com a sua inconfundível desenvoltura dá o ritmo da dança.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Mestrando Pastoras e Namorando Gajeiros

O saudoso pesquisador  foi homenageado com a criação da Medalha do Mérito Deífilo Gurgel
Por Isaura Rosado*

“Deifilo Gurgel nasceu praieiro de mar e de rio, na ilha de Areia Branca, paraíso de dunas e de ventos, terra de sal e de versejadores. Menino, andou se alumbrando com o adusto chão avoengo de Caraúbas e lá, no alto sertão da Potiguarânia, conheceu as casas do ‘Quadro’, deve ter visto as ‘pinturas’ das ‘Pedras dos Índios’, e dado cangapé na água límpida do Olho D’água do Milho.
Em Natal, jovem, apareceu poeta. E dos bons. Na Capital, foi estudante, bancário, advogado, professor – tudo com muita competência, zelo e, acima de tudo, exemplar modéstia, coisa do seu temperamento, do seu jeito de ser. Por amor, casou com Zoraide, moça bonita, teve filhos – e continuou poeta. Réu confesso, aos quarenta e quatro anos de idade, arrumou, de estalo, sarna pra se coçar: uma imensa e extensa paixão temporã pelo folclore.
Essa ‘senhora’, airosa e balzaquiana, nunca antes o havia tentado. Passava, apenas – para ele, Deífilo – ao longe, sem maior brilho ou atrativo, dengosa, mestrando pastoras, namorando gajeiros, dando umbigada nos batuques, desfilando nos palanques de Djalma Maranhão. Cascudo e Veríssimo de Melo, entre bem poucos, viviam para cima e para baixo cortejando-a, gastando energia, tempo, papel, tinta, e selo postal”...
Assim, o poeta Laélio Ferreira definiu Deífilo Gurgel, o patrono desta medalha, homenageado pela Governadora Rosalba Ciarlini e pela Secretaria Extraordinária de Cultura por ocasião do seu “encantamento”.
A opção desta gestão, sem prejuízo de outras iniciativas, tem sido pela cultura de tradição. Inclusive já consagrada no Primeiro Plano estadual de Cultura, discutido em 40 fóruns por 1.500 pessoas
Os fundamentos e argumentações para o nascedouro do Agosto da Alegria que se enlaça com o turismo vão além do significado econômico aí imbricado. Tanto para a cidade - quando Natal se transforma no endereço e referência para a discussão e celebração da cultura de tradição - como para os brincantes, quando os seus festejos e manifestações se tornarem o grande espetáculo para os nossos olhos e para os nossos sentimentos.
Essa política de valorização da cultura também tem se manifestado no fomento às festas populares, inaugurando o apoio direto aos brincantes, como, por exemplo, no Carnaval, no Ciclo Junino. Aqui esse governo já investiu mais que qualquer outra administração em todo um mandato. Ou, quiçá, em mais de uma gestão. Um milhão e meio de reais.
Fizemos o primeiro apoio governamental ao Circo, proposto pelo próprio segmento. O João Redondo sentou, discutiu e definiu seus pleitos em conjunto com a ABOPT. Os violeiros disseram onde queriam cantar. A ”Escola” de João Redondo vai formar novos grupos de mamulengos. As pesquisas científicas já estão sendo publicadas.
O Salão Chico Santeiro já em sua terceira edição tem destacado artistas que, ao chegar à capital, por si só, já seria uma vitória, como é o caso de Zé de China de Major Sales. No seu “objeto”, num catavento, urdido para as “cumeeiras” das casas, bicicletas passeiam e gostosas paçocas são preparadas em pilões, cuja força do vento o faz de ação intermitente. José Fernandes de Santa Cruz, talhou a estátua da padroeira, Santa Rita. Aquela que zela pela cidade, em imagem gigantesca (maior que o Cristo Redentor, maior que a Estátua da Liberdade de Nova York), e inspira artistas e artesãos. # Wagner de Oliveira do Açu, sem ser naïf é terno e ingênuo. Estão lá, todos, expostos com elegância e dignidade na maior casa de cultura e de governo, o Palácio Potengi.
A homenagem amplia o conceito do objeto de interesse e de trabalho perseguido por Deífilo: o folclore. Em sintonia com os estudos mais atuais, despindo-se da carga ideológica que alguns encontram na palavra folclore, enaltece, sublinha e louva a cultura de tradição. E aí, destacamos não só os brincantes, as instituições, os estudiosos, o modo de ser, o jeito de escrever – por exemplo - de Paulo Balá, a forma de viver, ou a devoção de Nem.
Vida longa ao Mérito Deífilo Gurgel!  E que todos aqueles que de alguma forma apoiam as culturas tradicionais, em qualquer de suas linguagens e formas, possam ser reconhecidos! Muito obrigada.

* Fala da professora Doutora Isaura Rosado, Secretária Extraordinária de Cultura por ocasião da outorga do Mérito Deífilo Gurgel em 07.08.2013, no TAM.
** O Mérito Deífilo Gurgel foi criado pela Portaria n° 117/2013, para homenagear instituições, estudiosos e brincantes que atuam na preservação das culturas de tradição.
*** Foram agraciados com o Mérito Deifilo Gurgel em sua edição de 2013 (primeira edição) as seguintes instituições: Conexão Felipe Camarão, Scriptorium Candinha Bezerra, Fundação Hélio Galvão e Comissão Norte Rio-grandense de Folclore. Como Estudiosos receberam o Mérito os Professores: Luiz Assunção, Antonio Marques, Iaperi Araujo, Anna Maria Cascudo e Paulo Balá. Os brincantes Pedro Correia, mestre dos Congos de Calçola de Ponta Negra e Severino Roberto, mestre dos Caboclinhos de Ceará-Mirim. Ainda receberam homenagens o Maestro Bembém, pelo trabalho de musicalização desenvolvido junto aos jovens; Mãe Nem, pela defesa e propagação das tradições afro-brasileiras; e Chico Daniel, in memoriam.


Artigo publicado na Tribuna do Norte (21/08/2013)


Jongo de Pinheiral é atração hoje no IFRN e TAM

Jongo de Pinheiral dança hoje no IFRN, às 15h, e às 18h, no TAM
O grupo fluminense Jongo de Pinheiral é uma das atrações de hoje do Agosto da Alegria 2013, com apresentações no IFRN às 15h30 e às 18h no TAM. O tradicional grupo Boi de Manoel Marinheiro, da comunidade de Felipe Camarão, abre a programação no IFRN e no teatro. E o Grupo Rabecacello, do Ceará, fecha a noite de apresentações. 
O grupo do Rio e Janeiro chegou ontem a Natal e se apresentou por conta própria na UFRN (foto: Keila Sena/celular)
Sobre o Jongo: 
Recebe designações variadas como caxambu, batuque, tambor ou tambú. Trata-se de uma dança de roda que reúne dançarinos de ambos os sexos. Ao som de tambores, os membros entoam músicas chamadas de ponto cifrados, fazendo uso de dialetos africanos. O grupo Jongo de Pinheiral, formado por moradores da comunidade, mantém vivo está expressão de origem africana deixada pelos negros escravizados da Fazenda São José dos Pinheiros, berço histórico de Pinheiral. Em 2000, o Grupo Jongo de Pinheiral foi tombado pelo Governo Federal como Patrimônio Histórico Imaterial sendo reconhecido como bem cultural do Brasil.
Serviço: 
Agosto da Alegria 2013 - Circuito Brincantes - 
 21/08 (quarta), às 15h30, no IFRN Cidade Alta, e às 17h, no Teatro Alberto Maranhão - Boi de Manuel Marinheiro e Jongo de Pinheiral. 
22/08 (quinta), às 18h, no TAM - Pastoril de Dona Joaquina, Chegança de Barra de Cunhaú, Grupo de Folguedos e Danças (AL) e Rabecacello (CE).  
23/08 (sexta), Às 18h, no TAM - Araruna e Samba de Pareia (SE).  

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Escolas e Caern apresentam espetáculos no Teatro de Cultura Popular

Toda a programação do Agosto da Alegria 2013 está no site www.cultura.rn.gov.rn. Nesta terça, teatro amador e a música do coral Som das Águas no TCP. A programação da semana inclui os brincantes, com apresentações folclóricas dias 22, 23 e 24 no TAM.

Regido por Isak Lucena, o coral Som das Águas é composto por 36 componentes
 
O Agosto da Alegria 2013 abre a pauta do Teatro de Cultura Popular para os grupos amadores de teatro das escolas estaduais. Dessa forma, possibilita aos grupos realizarem uma apresentação num teatro oficial, além de reforçarem a programação do festival que começou no início de agosto e segue até dia 31. Nesta terça, 20, a Escola Estadual Presidente Kennedy, de Parnamirim, apresenta o espetáculo Cafeteria, às 9h, com entrada franca.
Logo em seguida, entra em cena o coral Som das Águas, da Caern, formado por 36 funcionários e dependentes, regido pelo maestro Isak Lucena, responsável pelo trabalho com diversos corais de empresas do Estado. O Som das Águas tem seu repertório formado por músicas brasileiras, além de sacras e da renascença.
A programação do TCP seguirá com a Comédia A Cartilha do Trabalhador, por alunos do CENEP (Centro Estadual de Educação Profissional Jessé Pinto Freire). À tarde, às 14h30, a Escola Estadual Maria Cristina apresenta um pout porri de dança inspirado na obra de Luiz Gonzaga.  Depois será a vez da Escola Francisco de Assis, de Lages Pintada, com o espetáculo Eu, você, Nós, Cidadãos. A última apresentação do dia será com Crendices, Superstições e Danças Juninas, pelos alunos da E. E. Profª Herondina Caldas, de Serra Caiada.

Serviço:
Agosto da Alegria 2013 - Programação completa no site www.cultura.rn.gov.br.


sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Secultrn/FJA realiza solenidade de entrega do Prêmio RN Junino neste sábado

Cento e quarenta e um arraiás e quadrilhas de todo o Estado são contemplados com recursos que totalizam R$ 337 mil, oriundos do Fundo Estadual de Cultura (FEC).  
A programação do Agosto da Alegria deste sábado, 17, que terá início às 15h30, no Teatro Alberto Maranhão, com apresentações parafolclóricas, inclui a solenidade para pagamento do Prêmio RN Junino a 141 arraiás e quadrihas contemplados pelo edital 17/2013. “Este ano, decidimos pelo pagamento dos editais, em vez de empregarmos verbas na contratação de atrações nacionais, e felizmente estamos cumprindo nossos objetivos”, afirmou a secretária Isaura Rosado, sobre repasse na ordem de R$ 337 mil, oriundos do Fundo Estadual de Cultura (FEC).
O grupo parafolclórico Boi Sete Estrelas, de São josé do campestre é uma das atrações  desse sábado
Todos os contemplados foram convidados a comparecer à solenidade, que simbolizará a entrega do prêmio, uma vez que o crédito propriamente dito será feito via bancária (crédito em conta ou pelo CPF, em agências do Banco do Brasil). Foram contemplados 79 arraiás (entre os 144 inscritos), que receberão R$ 1.500 cada; e 62 quadrilhas, das 146 inscritas, que recebem R$ 3.500. A Secultrn/FJA receberá a prestação de contas até 30 de abril de 2014, além disso, todas as quadrilhas terão de cumprir um termo de compromisso que consta no edital, que será uma apresentação a ser agendada de acordo com a programação da secretaria.

“Devemos incluir essas apresentações no Agosto da Alegria do ano que vem. Para facilitar a logística, os grupos do interior provavelmente se apresentarão em sua cidade ou municípios próximos”, explica a professora Isaura, referindo às 34 cidades abrangidas pelo prêmio, além da Capital.  O edital foi lançado com a missão de auxiliar projetos que venham reforçar, difundir, identificar e apoiar as tradições regionais potiguares voltadas para os festejos juninos.
O pagamento dos prêmios Deífilo Gurgel, III Salão de Arte Popular Chico Santeiro e Palhaço Facilita será realizado no dia 30 de agosto, na Pinacoteca do Estado, às 15h30. 

Serviço:
Agosto da Alegria 2013 – Prêmio RN Junino e Circuito Parafolclórico –TAM, a partir das 15h30. Apresentação dos grupos Boi de Estrelas (São José Campestre), Grupo de Dança da UERN e Cia. de Dança do TAM. Entrada franca.
Acesse a programação completa do Agosto da Alegria no site www.cultura.rn.gov.br

Espetáculos Teatrais e de Dança prometem movimentar o Fim de Semana do Agosto da Alegria 2013

A programação do fim de semana no Agosto da Alegria 2013 está repleta de atrações culturais gratuitas. Hoje (16), a festa é do Grupo de Dança Terras Potiguares, Boi de Reis de Bom Pastor, Grupo de Dança Macambirais e a Cia. de Dança do TAM, que sobem ao palco do Teatro Alberto Maranhão, a partir das 15h30, em mais um dia de apresentações no Encontro de Cultura Popular e III Encontro de Brincantes do Brasil.  O Grupo Anjos Adonai entra em cena, às 19h, com a peça teatral O Canto das Ilhas que promete fazer um grande espetáculo e agradar o público no Teatro de Cultura Popular (anexo à Fundação José Augusto, no bairro do Tirol).

Cia. de Dança do TAM apresenta nesse sábado (17) o espetáculo Bodas de Sertão, no TAM.
A dica para sábado (17) é emocionar-se com o espetáculo Bodas de Sertão, pela Cia. de Dança TAM, no Teatro Alberto Maranhão, a partir das 15h30. A apresentação é inspirada na obra Bodas de Sangue do espanhol Federico Garcia Lorca. No mesmo dia sobem ao palco o Boi Sete Estrelas de São José de Campestre e o Grupo de Dança da UERN. Fechando a noite em mais uma atração do Projeto Palco Giratório – SESC, é a vez do teatro de rua do Núcleo Ás de Paus de Londrina (PR). Encenam o espetáculo A Pereira da Tia Miséria, às 19h no Largo do TAM, e também de apresentam no domingo na Área de Lazer do Panatis, Zona Norte, mesmo horário.

O Parque das Dunas é lugar para entrar em contato com a natureza, mas nesse domingo (18) o encontro maior é com a cultura. Pela manhã, às 10h, Dona Euzinha Beija Flor da Silva apresenta o Causos e Canções, em seguida é a vez do Mamulengo de Heraldo Lins encantarem os visitantes com a magia do teatro de bonecos, arte preciosa da cultura popular nordestina. A peça O Soldado e a Florista encerra a programação do domingo, a partir das 16h30.

Peça O Soldado e a Florista é uma das atrações do domingo no Parque das Dunas
Esses e muitos outros eventos você encontra em nossa programação oficial do Agosto da Alegria 2013 que pode ser acompanhada através do nosso blog secretariadeculturarn.blogspot.com.br e no portal www.cultura.gov.rn.br

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Cultura popular do Conexão Felipe Camarão na edição de agosto do Privado é Público

Inaugurada, nesta quinta-feira, 15, mais uma exposição do projeto Privado é Público, com acervo do projeto social e cultural Conexão Felipe Camarão. Evento começa às 19h, na galeria Newton Navarro (Fundação José Augusto).  

Crianças atendidas pelo projeto Cnexão Felipe Camarão fazem aulas de instrumentos musicais

O projeto Conexão Felipe Camarão irá apresentar elementos utilizados por crianças e jovens da comunidade e que estudam nas escolas públicas do bairro. São instrumentos musicais, figurinos utilizados nas apresentações, rabecas produzidas pela lutheria do projeto, além de fotografias e revistas com publicações das ações realizadas pelo Conexão. “O objetivo é mostrar nosso trabalho em respeito às tradições dos mestres da comunidade”, declara Vera Santana, coordenadora do projeto, condecorada recentemente com a Medalha do Mérito Deífilo Gurgel, concedida pela Governadora Rosalba Ciarlini às pessoas e instituições que mantém a cultura de tradição no RN.

O Conexão Felipe Camarão é um projeto sociocultural e educativo desenvolvido pela Associação Companhia Terramar na comunidade de Felipe Camarão, Natal/RN, que atua na preservação, valorização e difusão da cultura de tradição oral local, fundamentando-se nos patrimônios imateriais do bairro: o Auto do Boi de Reis do Mestre Manoel Marinheiro, a musicalidade do Mestre Cícero da Rabeca, o teatro de bonecos João Redondo do Mestre Chico de Daniel e a Capoeira do Mestre Marcos.

Tendo iniciado suas ações em 2003 e se tornado Conexão Felipe Camarão em 2005, o projeto integra crianças, adolescentes e jovens (e seus familiares) em ações desenvolvidas por educadores, músicos e mestres de tradição que compõem a equipe e tem aprimorado o trabalho ao longo dos anos. O projeto desenvolve oficinas de tradição de Boi de Reis, João Redondo e Capoeira; oficinas de música de rabeca, flauta, percussão e metais; atua na qualificação de jovens e adultos através da Lutheria de Rabeca (fabricação artesanal de instrumentos) e do Núcleo de Moda, Estilos e Costumes, Figurinos e Adereços (produção artesanal de figurinos, adereços e artigos de vestuário e decoração, com base na cultura e iconografia locais).

Serviço:

Privado é Público Conexão Felipe Camarão – Abertura: 15/08, às 19h, na Galeria Newton Navarro (FJA). R. Jundiaí, 641. Tirol. Visitação: de segunda a sexta, das 8h às 17h, até 04/09. Agosto da Alegria 2013 - Programação completa no sitewww.cultura.rn.gov.br


Contato com a imprensa:  G7 Comunicação - (84) 2010.2816 / Gustavo Farache - (84) 9983.0905 | 8899.0905

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Poeta Luiz Campos deixa legado em forma de versos


Reproduzido do blog da jornalista Ana Cadengue, mediante sua autorização.

Morreu na noite de ontem (13) o poeta, repentista e cordelista Luiz de Oliveira Campos. Nascido no bairro Lagoa do Mato, em Mossoró, completaria 74 anos no próximo dia 11 de outubro. (Foto: Ana Cadengue).

Considerado – por lei – Patrimônio Vivo do Rio Grande do Norte, o poeta estava internado há algum tempo no Hospital Regional Tarcísio Maia. Segundo informações colhidas pelo blog na última segunda-feira (12), Luiz estava na clínica médica do hospital, onde aguardava uma biópsia do esôfago. Se alimentando através de sonda, ele era considerado um caso grave, mas estável.

Tive a honra de conviver com Luiz Campos em diversos bons momentos. Sua poesia emocionava. O abandono em que vivia chegava a doer. Não contamos as vezes em que Túlio Ratto e eu perturbamos amigos ou juntamos os trocados para comprar aparelhos celulares e gravadores para o poeta, que quase cego, morava sozinho na sua Lagoa do Mato.

Há dois anos, em entrevista para a revista Papangu, onde aproveitamos para gravar um documentário – ainda inédito – sobre o poeta, perguntei como Luiz queria ser lembrado: “Depois que eu morrer não precisa mais se lembrar de mim. Melhor seria que se lembrassem de mim enquanto estou vivo. E estamos conversados”.

O velório está sendo realizado na casa onde o poeta nasceu e viveu seus 73 anos, na avenida Rio Branco, 2886, Lagoa do Mato. O enterro está previsto para às 15h no cemitério novo.

Exposição Mamulengo nos Folguedos é atração no Agosto da Alegria 2013


Adilene Mendes é mestre na arte de fabricar mamulengos
A riqueza da cultura dos folguedos, aliada à fantasia do teatro de bonecos. Nas mãos a artesã Adilene Mendes, papel marchê e retalhos ganham vida, perdem a natureza inanimada e se transformam em personagens dramáticos. São os famosos mamulengos, que ela expõe a partir de sexta-feira (16), às 15h, no Memorial Câmara Cascudo.

A exposição Mamulengo nos Folguedos faz um mergulho no folclore do Rio Grande do Norte e também do Pernambuco, onde a artesã se apropria da linguagem dos folguedos e brincadeiras do folclore nordestino e os incorpora em figuras de João Redondo. Adilene retrata personagens como os brincantes dos Bois de Reis, do Pastoril, Araruna, Maracatu Nação e Rural, Festas Juninas, Bailes Carnavalescos, os Congos de Calçola, Orixás e tantas outras manifestações. A mostra pretende provocar no público o encantamento de ver suas memórias em forma de bonecos.

Adilene é pernambucana, mas já mora em Natal há 33 anos, aprendeu a arte com sua família de artesãos. Detalhes de adereços como aplicações, bordados e pedrarias são construídos de forma artesanal, e os bonecos moldados a partir da técnica do papel machê, tornando peças únicas, assim como nossas manifestações da cultura popular.









SERVIÇO:
Mamulengos Nos Folguedos
Abertura: 16
Horário: 15h.
Visitação: até o dia 31
Local: Memorial Câmara Cascudo.

Entrada Franca



.  

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Bordeline entra em cartaz no TCP

Borderline é um espetáculo de teatro baseado no conto de Junior Dalberto, que também assina a direção do monólogo estrelado pelo ator José Neto Barbosa. A peça teatral aborda a loucura e a lucidez, a razão e os desejos, entre outras questões do mais íntimo humano. É inspirado artisticamente no transtorno de personalidade limítrofe, buscando espelhar e fazer refletir sobre o comportamento, os sentimentos e significados de uma postura ética e moral estabelecida.
Ator José Neto vive um personagem que vive no limite emocional
 “Rutras vive a caminhar ‘de olhos vendados num limítrofe fio’, e quando ele saí disso, por qualquer coisa que o fruste ou gere expectativa cotidianamente ele vai ao limite, ultrapassa facilmente, horas recua. Por isso Borderline, vive na borda da linha do limite emocional. Explode emocionalmente, ou por vezes é inconstante. A peça não é um diagnóstico de saúde, acho que esse também não é o primordial objetivo da arte, nossa peça é poeticamente inspirada, mas poderíamos diagnosticá-lo como um borderline (com inclinação para a bipolaridade e a esquizofrenia).” José Neto, Ator.
  
Com o patrocínio da Fecomércio/RN e Sesc/RN o espetáculo ocorrerá nos dias 22, 23, 24 e 25 de agosto (de quinta a sábado às 20h, e domingo às 19h) no Teatro de Cultura Popular – anexo Fundação José Augusto (R. Jundiaí, 641, Tirol).
 
Serviço:
Espetáculo Borderline
Com José Neto Barbosa
Texto e direção de Junior Dalberto
  
Dias: 22, 23, 24 e 25 de agosto
Horário: de quinta a sábado às 20h, e domingo às 19h
Local: Teatro de Cultura Popular – anexo Fundação José Augusto (R. Jundiaí, 641, Tirol)
 
Ingressos: R$10,00
Vendas antecipadas: Loja Scala Midway Mall 1º piso

Contato com a imprensa: (84) 9175-9870 (a/c Marcelo Veni).

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Agosto da Alegria segue até dia 31 com artes visuais, folclore, teatro e dança

Exposição Mocó, Salão Chico Santeiro e Nordeste de Artes Visuais em cartaz na Pinacoteca  (foto: Anchieta Xavier)
Todos os dias tem programação cultural gratuita e de boa qualidade. Acesse o site www.cultura.rn.gov.rn e fique atento aos dias 15 (Guaraci Gabriel, no Quarto Centenário, e Privado é Público com Conexão Felipe Camarão) e 16 (exposição Maria do Santíssimo).
O festival Agosto da Alegria, que começou no dia 1° e transcorrerá até 31, promove a partir de hoje (12), às 19h, na Pinacoteca do Estado, a Oficina História da Arte para Artistas, ministrada pelo diretor artístico Júlio Martins. O curso é uma parceria entre a Funarte/MinC com a Secultrn/FJA, e prosseguirá até dia 16, na Pinacoteca do Estado.
Júlio Martins ministra oficina de História da Arte
Nessa segunda-feira, o Agosto prossegue com atividades em algumas escolas estaduais, da Capital e do interior, que realizam rodas de contação de história, oficinas de confecção de brinquedos e exposições com temas folclóricos. Na Pinacoteca do Estado, as exposições Mocó, do barroco ao contemporâneo, do artista Rasmussen Sá Ximenes (Mocó), a Mostra Nordeste de Artes Visuais e o III Salão Chico Santeiro estão abertas à visitação de terça a domingo, das 8h às 18h.
Esta semana, no dia 15, Natal amanhecerá com exposição permanente de Guaraci Gabriel no Complexo Quarto Centenário e, à noite, às 18h30, na Galeria Newton Navarro, a Ong Conexão Felipe Camarão mostra seu acervo na mostra Privado é Público (Fundação José Augusto); no dia 16, às 15h, no Memorial Câmara Cascudo, abertura das exposições de Estandartes e Mamulengos, e às 19h, exposição do acervo da renomada pintora naïf Maria do Santíssimo, na Pinacoteca do Estado (doado por Iaperi Araújo, seu sobrinho), ocasião em que será lançado o livro A Arquitetura Tradicional de Acari no século XIX, do arquiteto Paulo Heider Feijó. 
 
A Galeria de Artes do IFRN Rio Branco abriga a exposição da Coleção Naif do Governo do RN, com curadoria da museóloga Ângela Ferreira, de segunda a sexta, das 8h às 21h. No Conviv’Art, do NAC-UFRN (Centro de Convivência), os artistas Dorian Grey e Cláudio Damasceno também realizam exposições individuais. E no SESC-Centro, tem artes visuais com Flávio Freitas, com visitação de segunda a sexta, das 8h às 17h.
Grande parceiro do Agosto da Alegria, o SESC realiza o intercâmbio entre Duas Companhias (PE) e o Grupo Carmim (RN), no dia de hoje (12), e pela manhã, das 9h às 12h, realiza o 3º Encontro do Grupo de Trabalho para Elaboração do 1º Edital Sesc de Montagem e Circulação das Artes Cênicas Potiguar–Edição 2014.
No SESC-Restaurante, onde existe grande fluxo de comerciários durante o horário do almoço, segue em cartaz a exposição Fotografias Pictóricas de Natal e Brasil, do fotógrafo espanhol Xavier Roca Faine, e exibição de filmes da Mostra Cultura Popular, dentre os quais, Câmara viajante (Joe Pimentel), Floreados do Repique (Gabriela Greeb), Fractais Sertanejos (Heraldo Cavalcanti), e outros.
Serviço:
Agosto da Alegria - Programação completa no site www.cultura.rn.gov.br